Nota de corte

Notas - (180x60)


Carcará
Colocação: 19
Concurso: Promotor de Justiça/MG 2010.
Bibliografia: Direito Constitucional - Curso de Direito Constitucional, do Gilmar F. Mendes em co-autoria com mais dois professores; Direito Constitucional Positivo, do José Afonso da Silva. Direito Administrativo - Direito Administrativo, do Celso Antonio Bandeira de Mello; Manual de Direito Administrativo, J. S. Carvalho Filho. Direito Penal - Direito Penal Brasileiro, do E. R. Zaffaroni. Direito Processual Penal - Processuo Penal, do Tourinho Filho [aquele em 3 volumes; o Manual de Processo Penal também é bom, mas para a segunda e terceira etapa, o livro em 3 volumes é mais indicado]. Direito Civil - há vários autores bons no direito civil pátrio, sendo que a maioria é suficiente. Em geral, autores mais "modernos" são os mais indicados, como Maria Helena Diniz. Direito Processual Civil - Curso de Processo Civil, Luiz Fux; Curso Avançado de Processo Civil, do Luiz Rodrigues Wambier.
Método: "Após a aprovação no concurso para Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, fiz uma reflexão acerca dessa vitória e do que a desencadeou. Eis a única conclusão a que cheguei: 'quem realmente quer algo encontra um meio, quem não quer, arruma uma desculpa'. Resumo em duas palavras: motivação e meio. De fato, desde que decidi seguir essa carreira, todas as facetas e meios da minha vida foram direcionadas à tal meta. De corpo, mente, espírito e alma entreguei-me às vicissitudes do certame tão disputado e, destarte, assumo que a exaustão física e psíquica quase me levou ao abismo da depressão. Portanto, estudar e dedicar-se é apenas a primeira etapa; aquele que voluntariamente se submete à solidão dos estudos e à exclusão dos deleites da vida em prol do objetivo maior: aí estará o vencedor!. E, enfim, para me sentir motivado a trilhar esse infausto e tormentoso caminho, ordenei-me que tudo aquilo que me aborecesse e me causasse raiva eu canalizaria numa 'fúria inabalável' para dar-me forças (e digo ainda que não foram poucas as coisas horríveis que geravam em mim tais sentimentos diariamente, seja na vida profissional, seja na vida privada). Logo, a fúria tornou-se minha mais fiel companheira e, quando a fadiga me abatia, quando pensava em desistir, recordava todas aquelas 'coisas horríveis' e despertava em mim a fúria, que me resgatava do desanimo e me impelia novamente aos estudos. É como diz um certo verso: 'Sob o ar causticante, carregado de ódio, paira uma pergunta: quando a fúria tomará você?'. A fúria controlada, assim, foi minha motivação; o meio, a obstinada dedicação".
Marcelouer
Colocação: 33
Concurso: A.N.A.(Agência Nacional de Águas) 2008-2009 - Especialista em Recursos Hídricos
Bibliografia: Português - Renato Aquino; Direito Administrativo - Vicente Paulo; Direito Constitucional - Marcelo Alexandrino; Raciocínio Lógico - Video Aulas Professor Sérgio Carvalho; Recursos Hídricos - Site da A.N.A., Tucci, Setti, Von Sperling; Ética e Legislação sobre Recursos Hídricos - Leis na Internet e Inglês - não divulgado.
Método: Não Informado.
Albavgr
Colocação: 28
Concurso: Detran/RJ - assistente técnico de transito (ensino médio)
Bibliografia: Apostila elaborada pelo curso DegrauCultural.
Método: Estudava todos os dias mais de 4 horas. Separava em um cronograma as matéria que iria estudar no dia; seguia o conteúdo do edital; fazia questões da banca; mas não deixei de sair e me divertir, que é muito importante. Não trabalhava e não fiz cursinho (apesar de achar que cursinho estimula muito a continuar estudando).
Advogadoce
Colocação: 51
Concurso: Defensoria Pública do Maranhão - Defensor Público
Bibliografia: Para esse concurso me preparei no sentido de estudar o máximo de leis especiais, tais com CDC, ECA, Idoso, Agrário, etc. Na certeza que, conforme o Edital, eles cobrariam bastante. Dito e feito, aconteceu isso.
Método: Estava a 3 anos estudando para todos os concursos, tanto procuradorias, Ministérios Públicos e Defensoria Pública. Na subjetiva e na prova oral é importante ter tranquilidade e usar de todo o estudo adquirido ao longo dos anos. Essa é minha dica.
ttc_titan
Colocação: 179
Concurso: Delegado/RN,
Bibliografia: Direito Constitucional Esquematizado: Pedro Lanza; Direito Administrativo: Marcelo Alexandrino(livro normal para estudar e seus resumos para revisar); Penal: Cleber Mansun, Guilherme de Souza Nucci e Rogério Greco; Processo Penal: Nestor Távola e Norbeto Avena
Método: Sou Policial Rodoviário Federal, desde 2004. Formei-me pela Universidade Estadual de Feira de Santana/ Ba (UEFS) no ano de 2009; como eu trabalho em sistema de plantão, 24 X 72 h, me sobram uns 4 dias por semana para estudar! Costumo estudar cerce de 6 a 10 horas por dia de folga, diminuindo um pouco durantos os finais de semana.
celorici
Colocação: 36
Concurso: TJMG/2005 - Oficial de Justiça Avaliador
Bibliografia: Material do Curso Maurício Trigueiro - Bhte - MG
Método: Estudava 4 horas por dia, antes do edital. Depois do edital, 8 horas por dia. Parte da manhã - teoria - 4hs parte da tarde - exercícios - 4hs Tempo 2 anos.
alex_leao
Colocação: 12
Concurso: Defensoria Pública da União
Bibliografia: Penal - Direito Penal Esquematizado - Cleber Masson Processo Penal - Processo Penal Esquematizado - Norberto Avena Processo Civil - Humbertho theodoro Junior (Processo de Conhecimento), Didier (Recursos) e Marinoni (Cautelar) Constitucional - Pedro Lenza e Gilmar Mendes Administrativo - José dos Santos Carvalho Filho e Di Pietro
Método: Meu principal método de estudo foi a resolução de questões. Buscava provas anteriores e começava a responder. As questões que errava/não sabia pesquisava e estudava na doutrina/jurisprudência obre o assunto. Desta forma, às vezes passava alguns dias pra resolver uma prova. Adotei este método pois entendo que as repetições de questões são constantes (como pude confirmar ao longos dos concursos que prestei). Conclui o curso de direito em julho de 2009. Logo, tive aproximadamente um ano de estudo, somando-se os estudos ao longo do curso de direito, que não eram muitos, mas sempre baseados nas resoluções de questões. Não tinha uma disciplina de horas por dia, mas acho que na média estudava uma 4 horas, pois tinha que conciliar com o trabalho.
alex_leao
Colocação: 79
Concurso: Procuradoria Geral de Pernambuco
Bibliografia: Penal - Direito Penal Esquematizado - Cleber Masson Processo Penal - Processo Penal Esquematizado - Norberto Avena Processo Civil - Humbertho theodoro Junior (Processo de Conhecimento), Didier (Recursos) e Marinoni (Cautelar) Constitucional - Pedro Lenza e Gilmar Mendes Administrativo - José dos Santos Carvalho Filho e Di Pietro
Método: Meu principal método de estudo foi a resolução de questões. Buscava provas anteriores e começava a responder. As questões que errava/não sabia pesquisava e estudava na doutrina/jurisprudência obre o assunto. Desta forma, às vezes passava alguns dias pra resolver uma prova. Adotei este método pois entendo que as repetições de questões são constantes (como pude confirmar ao longos dos concursos que prestei). Conclui o curso de direito em julho de 2009. Logo, tive aproximadamente um ano de estudo, somando-se os estudos ao longo do curso de direito, que não eram muitos, mas sempre baseados nas resoluções de questões. Não tinha uma disciplina de horas por dia, mas acho que na média estudava uma 4 horas, pois tinha que conciliar com o trabalho.
enfa_silva
Colocação: 5
Concurso: FHEMIG
Bibliografia: Apostilas Vila Rica, Enfermagem em Terapêutica Oncológica (Bonassa) e ações de Enfermagem no controle do câncer-2008 (Publicado pelo Instituto Nacional do Câncer e Bizu Enfermagem (3400 questões selecionadas para concursos)
Método: Não tive muito tempo para estudar, pois me desdobrava em 3 empregos. Porém, utilizava essas referências no dia a dia de meu trabalho e com isso foi possível melhorar minha classificação principalmente na prova discursiva.
DC
Colocação: 79
Concurso: AGU/2010 (Administrador) e outros
Bibliografia: Direito Constitucional: Direito Constitucional Descomplicado- Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo; Direito Administrativo:Direito Administrativo Descomplicado- Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo; Português - Video Aulas Renato Aquino/ Nova Gramática -Paschoal Cegala; Curso Especifico: Policia Federal -LFG (6 meses)-Muito bom o curso (Principalmente Direito Penal e Processula Penal); Legislação Específica: Portal da Imprensa Nacional. Raciocício Lógico: Material Ponto dos concursos- Sérgio Carvalho e Weber; Provas de Concursos Anteriores retirados do site Www.pciconcursos.com.br; Arquivologia: Apostila Vesticon
Método:
RPS
Colocação: 10
Concurso: Procurador de Assistência Jurídica do Distrito Federal/2007
Bibliografia:
Método: "o segredo para aprovação em concursos é muito estudo, muita dedicação e muita fé em Deus e nas horas de estudo. Ninguém obtem êxito, sem sólidos conhecimentos adquiridos por via dos estudos. Dissecar as matérias de um edital de um dado concurso, é a única maneira para realização do sonho da aprovação. Detalhe: Nunca foi necessário nenhum cursinho preparatório. Somente muitas horas de estudos diários. Sucessos a todos."
juniorleit
Colocação: 2
Concurso: Procuradoria do Município de Santa Rita do Araguaia-GO
Bibliografia: "A bibliografia que utilizei foi bastante variada, porque nunca segui rigidamente uma doutrina só. Além disso, usei muito caderno do cursinho LFG, que me auxiliou demais. De qualquer forma, a bibliografia que recomendo são obras da Juspodivm, RT, Atlas dentre outras e, especialmente de obras, cujos professores lecionam em cursinho preparatório para concurso, já que estão antenados com as tendências concursais. Bibliografia sugerida: Fernanda Marinela, Maria Sylvia Zanella de Pietro e Hely Lopes Meirelles (Direito Administrativo); Luiz Flávio Gomes, Rogério Sanches e Delmanto (Direito Penal); Mirabete, Tourinho Filho e Nucci (Processo Penal); Marcelo Novelino, Pedro Lenza e Alexandre de Moraes (Direito Constitucional); Maria Helena Diniz e Sílvio de Sávio Venoza (Direito Civil); Fredie Didier Jr., Nelso Nery Jr., Antonio Marcato, Moacyr Amaral do Santos e Humberto Teodoro Jr. (Processo Civil)."
Método: "Nunca segui rigidamente uma doutrina só, até por conta de ponto de vistas diferentes. Além disso, usei muito caderno de cursinho LFG, que me auxiliou demais Estudo para concurso a cerca de 2 anos. A estratégia de estudo além do SONHO que deve vir primeiro, é ter muita disciplina, humildade em sabermos que se está em busca de conhecimento (e de que por mais que se esforce nunca saberemos tudo e sempre estaremos apreendendo); revisão do conteúdo em lapsos curtos; compromisso, determinação, persistência e busca de Deus. A quantidade de horas que estudo por dia é de aproximadamente 5 horas. Trabalho e estudo e ainda tenho família para sustentar. Faço cursinho do LFG."
joão augusto
Colocação: 199
Concurso: AGU/2010_Procurador Federal
Bibliografia: As melhoras obras para concurseiro são as das seguintes editoras: método, verbo jurídico e juspodivum (acho que é isso). Qualquer livro de qualquer área nestas editoras é muito bom para fazer concursos públicos. A método e a juspod. são obras mais densas enquanto o verbo jurídico é resumo, bom para lembrar a matéria estudada, mas tem muito conteúdo. Bom, como eu havia dito, eu estava estudando para analista, então o foco era lei seca. Mas sempre olhava os informativos e a doutrina também. Ajudou muito os vídeos do Verbo jurídico nas áreas previdenciário, financeiro, econômico, ambiental e internacional. Aí vão alguns livros que eu indico para a prova da AGU (Procurador Federal e Advogado da União; para Procurador da Fazenda Nacional existem outras indicações): LIVRO COM A JURISPRUDENCIA DO STF e STJ MAIS RECENTE. Direito Administrativo: Súmulas e orientações normativas da AGU: site da AGU. José dos Santos Carvalho Filho e Celso Antonio Bandeira de Mello. Leis Orgânicas da AGU. Direito Constitucional: Súmulas vinculante. Gilmar Mendes e cia. Curso de direito constitucional. Direito Econômico e Financeiro. Vídeos do Verbo Jurídico. Lei Antitruste nº 8884/94 (observar a nova lei). Lei do Orçamento:4.320/1964. Lafayete Josué Petter: Direito Econômico (verbo jurídico). Juliano Colombo: Direito Financeiro (verbo jurídico). Kyoshi Harada: Direito Financeiro. Eros Grau: Direito Econômico (se tiver um tempo é bom). Direito Tributário. Um livro bem conhecido no meio dos concursos da editora método é bem indicado. Kyoshi Harada: Direito Financeiro e Tributário. Juliano Colombo: Direito Tributário (verbo jurídico). Legislação sobre ensino: Constituição Federal na parte de educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Direito Previdenciário: Vídeos do Verbo Jurídico. Súmulas da TNU. João Batista Lazzari e Carlos Alberto Pereira de Castro: Manual de Direito Previdenciário (Conceito). Daniela Machado da Rocha: Lei 8213 comentada. Direito Agrário: Lei 8.626/93. Leis Complementares nºs: 76/93 e 88/96. Lei 6.969/81. Art. 191 da CF. Direito Ambiental: Vídeos do Verbo Jurídico. Informativos do STJ. Direito Ambiental do Verbo Jurídico. Édis Milaré (RT): Direito do Ambiente (o próprio nome do livro já denota que ele adota a teoria biocentrista, utilizado no IBAMA). Anderson Furlan. Direito Civil: Um bom resumo. A coleção do Cristiano Chaves de Farias e Nelson Rosenvand. Direito Comercial: André Santa Cruz. Coleção na editora Método de direito empresarial, eu recomendo, ele é Procurador Federal (me deu aula no programa de formação no último concurso). Direito do trabalho e processual do trabalho: Renato Saraiva: editora método. Direito Internacional Público: Vídeos e o livro do Verbo Jurídico. Direito Penal e Processual Penal: Livros da Método e da Juspodivm. Direito Processual Civil: Coleção do Fridie Didie Jr. Leonardo José da Cunha Carneiro: Fazenda Pública em Juízo. 2ª FASE: Parecer: Súmulas e Orientações Normativas da AGU vão cair sem dúvida. Informativos do TCU (dê uma passada de olho os informativos dos meses anteriores à prova). LIVRO: Modelos de pareceres na advocacia pública. Fabrício Bolzan e Cássia Hoshino. (RT). Este livro é indispensável para a 2ª fase, um dos autores é procurador federal.
Método: “(...) Fiz meu primeiro concurso, para o porto de Paranaguá, tiro 6,8 e fico em 400 e lá vai bolinha. Concurso para o MPU em 2006 (técnico), com três meses de estudo nas férias, estava confiante, tirei 7,5 e uma colocação para lá de 1000. Concurso para o TRF4a em 2006 (técnico judiciário), fico com 6 e pouco e desclassificado. Concurso para o TRT9a em 2007 (técnico judiciário), estudei também, tiro 5 e pouco e desclassificado. Concurso para o TRE-RS no final de 2008, estudo forte em 3 meses, mais uma vez confiança a Porto Alegre, tiro 7,1 para técnico e 7,4 para analista judiciário, perspectiva de ficar em 200, mas o concurso é anulado. Concurso do TRT15a, estudei bem mais uma vez, vou para Campinas na esperança, na prova de Analista Judiciário minhas canetas me deixaram na mão e ouvi do examinador que não poderia emprestar de ninguém (pense na angústia), mas depois me emprestou, tiro 7 e desclassificado, na prova de Analista Judiciário/Execução de Mandado, tiro 7,5 e tenho minha redação corrigida (7,5), mas fico em 400. Concurso para o TRE-SC em 2009 (Analista Judiciário), estudo forte e melhor, vou a Florianópolis com muita confiança, até minha mãe tinha sonhado com vitória, prova cansativa e extensa, e tenho o melhor resultado, fico com 7 e pouco na objetiva e 8 e pouco na subjetiva e na 94ª. Sonho de ser nomeado acendeu intensamente, mas o concurso é anulado, depois homologado, depois o CNJ suspende as nomeações (afee). Vou então para Curitiba, e faço cursinho no Verbo Jurídico, no final de 2009, focando o concurso do TRF4a para Analista Judiciário, 3 meses de cursinho de 3 meses de estudo em casa, a preparação que reputava perfeita para aprovação, mas a 184ª em CTBA e 384ª no Paraná. Fiz o TJ-SC (Analista), e se tivesse acertado mais uma questão de português ficaria em 2º lugar em Joinville (nãooooo, eliminado). Fiz para Advogado da URBS e por uma questão não sou aprovado (nãooo, eliminado). Concurso para o MPU (analista processual), 161ª colocação. Ouço de uma pessoa muito especial: “vc nunca passa em nada”, nessas horas as lágrimas são um bom consolo, porque? Era verdade, não passava em nada. Lembro-me da sensação de frustração toda vez que via o gabarito,(...) não sei como continuei, só quem estuda sabe da tristeza nestes momentos, e ninguém nos entende, o fardo é maior por isso, é uma derrota nossa, só nossa, mas sei que Deus me olhava e dizia: levanta, continua, apenas continua, porque te reservo o melhor. Neste tempo (em janeiro de 2010) abrem os concursos para Defensoria Pública Federal (DPU) e Procuradoria Federal (AGU), e o que pensar? Estudo, estudo, e estudo para analista/técnico e nada, para esses cargos então nem se fale (aqui uma observação: devemos analisar o perfil da prova, para mim vejo que analista-técnico não bate comigo, pois tenho dificuldade em gramática e redação geral, mas vou melhor nas questões jurídicas, objetivas, subjetivas e na oratória). Mas faço a inscrição. Prova da DPU no início de março, me preparo por umas 3 semanas focado, vídeos no cursinho das áreas de Penal e Processual Penal Militar, Sociologia, Filosofia e Filosofia do Direito, rodei por 7 pontos em uma prova com 200 itens onde uma errada anula uma certa, ou seja, 4 questões de certo e errado (fico com 4,1 e a nota de corte é 4,45), fiquei feliz mas com um sentimento de quase ter realizado o impossível (para mim). Prova para AGU no final de março de 2010, assisto os vídeos de Financeiro, Ambiental, Previdenciário, Direito Internacional Público e Privado, matérias que nunca tinha visto na faculdade, resumos, e uma preparação com leis secas e resolução da última prova na última semana. Prova cansativa, 1ª e 2ª fase no sábado e domingo, como na DPU. A objetiva me pareceu horrível, questões difíceis. Mas os vídeos, a base de doutrina, o gostar de olhar os sites do STF e STJ, informativos, muita lei seca, um pouco de intuição, e uma força maior, em uma prova de certo e errado (CESPE), duas erradas anula uma certa, fico com 115, (...)esperança sem tamanho, sai o resultado e estava classificado para inscrição definitiva e após 2ª fase (correção posterior). (...) A 2ª fase foi de matar. Grupo I: no parecer pedem sobre licitação e entendimento do TCU (???? Não fácil ler STJ e STF quem dirá os informativos do TCU), respondi tudo com a 8666/93, financeiro com conceito jamais visto (lei antitruste nela), constitucional (ACP e controle de constitucionalidade), previdenciário (auxílio-acidente para profissional liberal). Grupo II: contestação pela ANTT em indenizatória com base no dano certo, incrível, mas dias antes tinha feito uma inicial no escritório pelos mesmos fatos (buraco na pista pedagiada) contra a ANTT (sabia todas as teses, o que dizer? Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus: Romanos 8, ver. 28), trabalhista (embargos de divergência no TST, errei que o prazo era em dobro – fazenda pública - eita), DIP (personalidade internacional), penal (natureza da pena de multa e repasse: federal, estadual, juris. do STJ). (...)isso foi um exercício de FÉ. No grande dia abro o edital e o impossível começa a acontecer. Inscrição definitiva deferida e recurso provido, vou para o edital da prova subjetiva (...)incrivelmente eu estava confirmado rumo a Brasília (um sonho para mim no 9ª período da faculdade). Foi um dos dias mais felizes da minha vida, sensação de ter recebido um presente, muito muito bom mesmo. Em Brasília, fico numa boa banca, após esperar quase sete horas sentados, chego no local as 12:30 e respondo a arguição as 20:00 horas, pressão, pouco de nervosismo, vejo candidatos excelentes, bancas de civil, processo civil, constitucional e administrativo, vou mal no meu forte (constitucional, sobre a AGU), e nota máxima no meu ponto fraco (administrativo: declaração de inidoneidade e vinculação das esferas administrativos, começo respondendo firme, com base na juris. do STJ e tal... pois é tinha lido o informativo na noite anterior com a resposta, rsrs), subo 100 posições na oral. Mais uma luta na sindicância de vida pregressa em agosto (só não perguntaram o nome do meu cachorro). O resultado foi em uma segunda-feira, estava em Curitiba, na sexta à noite volta para minha cidade e sou recebido com uma festa surpresa em casa por meus familiares, melhores amigos, pessoal da igreja, e uma linda faixa na frente de casa com as vitórias, felicidade que não dá para explicar. Enfim, posso comparar a minha história e de todos os que sonham com um cargo público com a história bíblica da fornalha de fogo ardente. Na minha vida, decidi que não me curvarei a estatua de Nabucodonosor (desistir do sonho), não importa o que o rei e a nação de Babilônia pensam (pessoas que nos cobram por estudar e não ter nenhum resultado), sei que os soldados queimarão (os que nunca confiaram em nós e determinam a nossa derrota), decidi que entrarei na fornalha de fogo ardente (as provas cada vez mais difíceis e mais concorrência), não sabemos se saíremos vivos, mas quando acontecer será alegria, muita alegria. Sei que na minha vida o indispensável quarto homem dentro da fornalha, foi e é Jesus Cristo, que nos diz: “AO QUE CRÊ TUDO É POSSÍVEL”. Lembro que ia na rua para a primeira fase da OAB com meu pai cantando “Sadraque, Mesaque, Abdenego, entraram na fornalha e não sentiram medo....” Pessoal, não tenham medo, entrem na fornalha, é a nossa missão, e quanto mais quente for o fogo (PF > AGU > Mag. Federal > MPF), maior será a vitória."
marions
Colocação: 1
Concurso: Secretaria de Educação/BA _ assistente administrativo
Bibliografia: Sites na internet, livros, aulas virtuais, provas anteriores e exercícios aos montes.
Método: "A minha estratégia de estudo foi focar os estudos nas provas de conhecimentos específicos, reservando a maior parte das horas para tal. estudava oito horas por dia, com intervalos de quinze minutos entre as horas e de vinte minutos entre as disciplinas. Foi um batidão de 4 meses. estudei em casa, utilizando todos os tipos de recursos: internet, livros, aulas virtuais, provas anteriores, exercícios aos montes. Ao domingos, só estudava a tarde, de manhã procurava me desligar completamente dos estudos. Dois dias antes da prova, me desliguei completamente do mesmo. No dia, acordei cedo ( a prova foi a tarde), procurei comer apenas rangos leves. Foi assim, agora estou tentando alcançar voos mais altos, voltei de novo para a rotina dos estudos, vou tentar o IBAMA. Boa sorte a todos."
malcher
Colocação: 143
Concurso: Correios 2011 - Carteiro
Bibliografia: Os materiais devem ser os melhores e conforme o programa de estudos do edital. Não basta ter o conteúdo todo com uma apostila fraca, nem uma apostila forte e incompleta para concorrer em um concurso.
Método: "A minha experiência, para quem quiser saber a 'receita' para passar em um concurso dos correios, é a mesma de todos: dedicação, muito estudo, perseverança e fé. Mas eis abaixo alguns princípios para obter sucesso: 1 - A melhor estratégia para quem se prepara para a prova (dos correios ou qualquer outra) é nunca achar que está bom, mesmo em cima da prova continue se esforçando. 2 - Eu não tinha um tempo de estudo fixo, mas quando eu podia estava estudando, a minha média de estudo por dia era de 9 horas por dia. Hoje, como trabalho, é de 4 horas - Não adianta ter 24 horas disponíveis se não pegamos nem uma no caderno, mas até com pouco tempo disponível estudo mais do que muitos por aí. 4 - Exercite a teoria, ou não adiantará nada estudar tanto. Exercite! 5 - Não se sinta o melhor! Mesmo depois de aprovado sempre vai ter alguém acima de você: 'chefes'. 6 - Não pare! Continue estudando depois de passar em um concurso, do contrário irá ganhar esse salário para o resto da vida."
nunubia
Colocação: 11
Concurso: Professor de língua portuguesa/RR
Bibliografia: Aulas em áudio.
Método: "Minhas horas de estudo não são muitas, por isso, eu tento aproveitar muito aulas em áudio uma vez que eu posso gravá-las no celular e ouvir sempre nas filas, bancos e lugares em que eu preciso esperar para ser atendida. Também procuro ler bastante."
rdexterz
Colocação: 1
Concurso: INSS/2012_APS Buritis
Bibliografia: Direito Previdenciário: Livro do Fábio Zambitte, Curso Online do Hugo Goes. Direito Administrativo: Maria Silva Zanella de Pietro Direito Constitucional: Alexandre de Morais, José Afonso da Silva Português: Evanildo Bechara Raciocínio Lógico: Sérgio Carvalho e Weber Campos Informática: Apostila Vestcon Complementei os estudos com apostila Vestcon.
Método:
hebecavaco
Colocação: 4
Concurso: TRF 1a Região _Analista Judiciário
Bibliografia: Um curso de Português foi importante para suprir a carência de uma base de ensino fraca. Inicialmente, foram utilizadas apostilas mas hoje, por já ter acesso a materiais melhores, prefiro estudar por cursos online, pela flexibilidade inerentes a eles.
Método: "Inicialmente e sem muito experiência, comecei a estudar para o vestibular da UESC/BA onde consegui a aprovação em penúltimo lugar (eram 40 vagas fui classificado em 39). Daí pra cá não parei mais: comecei a me aventurar no mundo dos concursos. O primeiro que fiz foi o do TJ/BA - quase nem acreditei quando vi minha classificação: foi o meu primeiro concurso e não tinha, até então, uma base boa já que estudei toda minha vida em escola pública. Como estava desempregado, ou melhor, era músico, só fazia shows aos finais de semana. Estudava das 7 da manhã ao meio e dia e das 14 às 17 horas, pois à noite ia para a faculdade. Por ser de família humilde, não tinha acesso a bons materiais, até internet eu tinha que ir para a faculdade para poder ter acesso. Mas isso só me impulsionava a querer vencer. Comecei a fazer um curso de português, que era minha maior carência. Depois de 06 meses, sai desse curso e comecei a estudar sozinho, em casa. Já estava com uma base boa de como se estudar. Pouco tempo depois começaram a sair as aprovações e comecei a trabalhar, inicialmente no SAC, depois Secretaria de Justiça, Polícia Militar, Ministério do Trabalho e TRF1 onde hoje sou técnico Judiciário e sou o próximo da lista para ser chamado para o cargo de Analista Judiciário, nesse mesmo Tribunal. Sendo convocado para assumir o cargo de Analista Judiciário, pretendo encerrar essa trajetória de concursos. Devo assumir e curtir um pouco de minha vida, coisa que ainda não fiz plenamente, devido à vida dura de concurseiro. De tudo que eu possa falar, eu digo apenas que VALE A PENA, e eu sou prova disso! Hoje já tenho meu carro (importado), minha casa, ajudo bastante minha família, sem falar da estabilidade e do sossego que é o serviço público."

Histórico do Site Loja Virtual do Site NDC Loja Virtual do Site NDC Concursos Cabecalho do Site Rankings Concursos Entre em Contato Conosco Rankings Anuncie aqui no NDC Entre em Contato Conosco Minha Possível Classificação Anuncie aqui no NDC